Achilles Delari Junior — pesquisador independente em psicologia

Contato: delari.base@gmail.com

Início

Produção independente

Pesquisa aberta

Para a prática terapêutica 

Traduções voluntárias

Partilha de arquivos

Estudos em dialética

 “A ciência da lógica” 

Georg Wilhelm Friedrich Hegel

[ em língua portuguesa ]

INTRODUÇÃO 


Conceito geral da lógica 

Divisão geral da lógica

LIVRO UM: A DOUTRINA DO SER


Com que o precisa ser feito o início da ciência?

Divisão geral do ser.


A. Ser

B. Nada

C. Tornar-se


1. Unidade de ser e nada

Destaque 1

Destaque 2

Destaque 3

Destaque 4

2. Os momentos do tornar-se

3. A suprassunção do tornar-se

Destaque [único]

A. Ser aí como tal

a. Ser aí em geral

b. Qualidade

Observação [Realidade e negação]

c. Algo


B. A finitude

a. Algo e um outro

b. Determinação, constituição e limite

c. A finitude

𝛂. A imediaticidade da finitude

𝛃. A barreira e dever ser

Observação [O dever ser].

𝛄. Passagem do finito para o infinito


C. Infinitude

a. O infinito em geral

b. Determinação recíproca do finito e do infinito

c. A infinitude afirmativa

A passagem

Observação 1 [O progresso infinito]

Observação 2 [O idealismo]

A. O ser para si como tal

a. Ser aí e ser para si

b. Ser para uno

Observação [A expressão: Que tipo?]

c. Uno


B. Uno e múltiplo

a. O uno nele mesmo

b. O uno e o vazio

Observação [O atomismo]

c. Múltiplos unos. Repulsão

Observação [A mônada leibniziana]


C. Repulsão e atração

a. Excluir do uno

Observação [A proposição da unidade do uno e do múltiplo]

b. O único uno da atração

c. A relação de repulsão e da atração

Observação [A construção kantiana da matéria a partir da força atrativa e repulsiva

A. A quantidade pura

Observação 1 [Representação da quantidade pura]

Observação 2 [Antinomia kantiana da indivisibilidade e da divisibilidade infinita do

tempo, do espaço, da matéria] 


B. Grandeza contínua e discreta

Observação [Separação ordinária destas grandezas]


C. Limitação da quantidade







A. O número

Observação 1 [Orientação da aritmética. Proposições kantianas sintéticas a priori da 

intuição]

Observação 2 [O uso das determinações do número para a expressão de conceitos 

filosóficos]


B. Quantum extensivo e intensivo

a. Diferença dos mesmos

b. Identidade da grandeza extensiva e intensiva

Observação 1 [Exemplos dessa identidade]

Observação 2 [Aplicação de Kant da determinação do grau ao ser da alma]

c. A alteração do quantum


C. A infinitude quantitativa

a. Conceito da mesma

b. O progresso quantitativo infinito

Observação 1 [

Observação 2 [A antinomia kantiana da limitação e da ilimitação do mundo no

tempo e espaço]

c. A infinitude do quantum

Observação 1 [A determinidade do conceito do infinito matemático]

Observação 2 [A finalidade do cálculo diferencial deduzida a partir de sua aplicação]

Observação 3 [Ainda outras formas conectadas com a determinidade qualitativa da

grandeza]






A. A relação direta


B. A relação inversa


C. A relação de potências

Observação







A. O quantum específico


B. Medida especificante

a. A regra

b. A medida especificante

Observação

c. Relação de ambos os lados como qualidades

Observação


C. O ser para si na medida







A. A relação de medidas autossubsistentes

a. Combinação de duas medidas

b. Medida como série de relações de medida

c. Afinidade eletiva

Observação [Berthollet sobre a afinidade eletiva e a teoria de Berzelius a este

respeito]


B. Linha nodal de relações de medida

Destaque [exemplos de tais linhas nodais; sobre o fato de que não haveria nenhum

salto na natureza]


C. O sem medida







A. Indiferença [Indifferez] absoluta


B. Indiferença como relação [razão] inversa de seus fatores

Observação [Sobre força centrípeta e centrífuga]


C. Passagem para a essência







A. O essencial e o inessencial


B. A aparência


C. A reflexão

1. A reflexão ponente

2. Reflexão exterior

Observação

3. A reflexão determinante







A. A identidade

Observação 1 [A identidade abstrata]

Observação 2 [A primeira lei originária do pensar, a proposição da identidade]


B. A diferença

1. A diferença absoluta

2. A diversidade

Observação [A proposição da diversidade]

3. A oposição

Observação [As grandezas contrapostas da matemática]


C. A contradição

Observação 1 [Unidade do positivo e do negativo]

Observação 2 [A proposição do terceiro excluído] 

- algo é tanto A quanto não-A, não existe terceiro.

Observação 3 [A proposição da contradição]





Observação [Proposição do fundamento]


A. O fundamento absoluto

a. Forma e essência

b. Forma e matéria

c. Forma e conteúdo


B. O fundamento determinado

a. O fundamento formal

Observação [Modos formais de explicação a partir de fundamentos tautológicos]

b. O fundamento real

Observação [Modo de explicação formal a partir de um fundamento diverso do 

fundamentado]

c. O fundamento completo


C. A condição

a. O relativamente incondicionado

b. O incondicionado absoluto

c. A surgimento da Coisa na existência






A. A coisa e suas propriedades

a. Coisa em si e existência

b. A propriedade

Observação [A coisa em si do idealismo transcendental]

c. A interação [ação recíproca] das coisas


B. O consistir da coisa em matérias


C. A dissolução da coisa

Observação [A porosidade das matérias]







A. A lei do aparecimento


B. O mundo que aparece e o mundo que é em si


C. A dissolução do aparecimento







A. A relação do todo e das partes


B. A relação de força e sua externação

a. O ser-condicionado da força

b. A solicitação da força

c. A infinitude de força


C. A relação do exterior e do interior

Observação [Identidade imediata do interior e do exterior]







A. A exposição do absoluto


B. O atributo absoluto 


C. O modo do absoluto

Observação [As filosofias espinosista e leibniziana]





A. Contingência ou efetividade, possibilidade e necessidade formais


B. Necessidade relativa ou efetividade, possibilidade e necessidade reais


C. Necessidade absoluta







A. A relação da substancialidade


B. A relação de causalidade

a. A causalidade formal

b. A relação de causalidade determinada

c. Efeito e contrafeito


C. A interação [reciprocidade de ação]







A. O conceito universal


B. O conceito particular

Observação [As espécies habituais de conceitos]


C. O singular







A. O juízo do ser aí

a. O juízo positivo

b. O juízo negativo

c. O juízo infinito


B. O juízo de reflexão

a. O juízo singular

b. O juízo particular

c. O juízo universal


C. O juízo de necessidade

a. O juízo categórico

b. O juízo hipotético

c. O juízo disjuntivo


C. O juízo do conceito

a. O juízo assertórico

b. O juízo problemático

c. O juízo apodítico


A. O silogismo do ser aí

a. A primeira figura do silogismo [S-P-U]

b. A segunda figura: P-S-U [ou U-S-P (?)]

c. A terceira figura: S-U-P

d. A quarta figura: U-U-U, ou seja, o silogismo matemático

Observação [A consideração habitual do silogismo]


B. O silogismo da reflexão

a. O silogismo da todidade - sob o esquema da primeira figura S-P-U

b. O silogismo da indução - sob o esquema da segunda figura U-S-P [?]

c. O silogismo da analogia - sob o esquema da terceira figura S-U-P


C. O silogismo da necessidade

a. O silogismo categórico - sob o esquema da primeira figura S-P-U

b. O silogismo hipotético - sob o esquema da segunda figura U-S-P [?]

c. O silogismo disjuntivo - sob o esquema da terceira figura S-U-P


A. O objeto mecânico


B. O processo mecânico

a. O processo mecânico formal

b. O processo mecânico real

c. O produto do processo mecânico


C. O mecanismo absoluto

a. O centro

b. A lei

c. Passagem do mecanismo

A. O objeto químico


B. O processo químico


C. Passagem do quimismo

A. A finalidade subjetiva


B. O meio


C. A finalidade executada

A. O indivíduo vivo


B. O processo vital


C. O gênero

A. A ideia do verdadeiro

a. O conhecer analítico

b. O conhecer sintético

1. A definição

2. A divisão

3. O teorema


B. A ideia do bem